Recém-Nascidos

SAÚDE INFANTIL


A gravidez é a fase na qual se inicia uma vida. Portanto é necessário que tudo dê certo.

Nada deve afetar o processo de crescimento e desenvolvimento do bebê. Para tanto, a gestante deve se cercar de cuidados específicos e de uma equipe médica competente e de sua confiança.

O acompanhamento pré-natal deve ser feito mensalmente até a 32ª semana; quinzenalmente até a 36ª semana e semanalmente até o parto. A gestante deve ser orientada a procurar um hospital com boa estrutura e avanços tecnológicos para atender bem a mãe e o bebê.

A assistência adequada ao recém nascido na sala de parto é fundamental para prevenir a mortalidade e a ocorrência de lesões que podem desencadear seqüelas neuro-comportamentais. Essas, por sua vez, têm potencial de acarretar prejuízos para a qualidade de vida da criança e da sua família.

Assim sendo o pediatra deve estar presente na sala de parto antes do nascimento de cada criança pois, cerca de 20% dos bebês necessitam de cuidados especiais de reanimação neonatal.

O recém-nascido imediatamente após seu nascimento será aquecido, limpo, aspirado boca e narina para retirar secreções e receberá oxigênio se houver dificuldade para respirar. Em seguida será clampeado o cordão umbilical, receberá pulseiras de identificação com o nome da mãe e após confirmação da sua boa vitalidade o bebê poderá permanecer ao lado de sua mãe para estabelecer e fortalecer o vínculo mãe-filho. Tais procedimentos devem ser realizados em todas as maternidades (públicas ou privadas) por recomendação do Conselho Federal de Medicina.

A vacinação no primeiro ano de vida é imprescindível para a saúde do bebê. São elas: hepatite B; BCG intradérmica (tuberculose); DPT + HIB (difteria, tétano, coqueluche e infecções invasivas causadas pelo Haemophillus influenza tipo B); SCR (tríplice viral – sarampo, caxumba e rubéola); rotavírus.

O teste do pezinho é um exame de triagem neonatal preventivo que permite fazer o diagnóstico precoce de algumas doenças congênitas possibilitando o tratamento adequado visando diminuir ou eliminar as seqüelas associadas a essas doenças.

A obrigatoriedade do teste do pezinho se dá através das seguintes leis: Estadual nº 3914/83 e Federal nº 8069/90. Com 48 horas de vida, são retiradas gotas de sangue do calcanhar do bebê e armazenadas em papel filtro, nos quais podem ser diagnosticados principalmente, o hipotireoidismo e a fenilcetonúria. Esses distúrbios quando não identificados precocemente causam prejuízo no desenvolvimento cerebral da criança e conseqüente deficiência mental irreversível. No caso do hipotireoidismo a prevenção da deficiência é feita basicamente pela ingestão hormonal por toda a vida. No caso da fenilcetonúria a prevenção da deficiência é feita pela ingestão de uma dieta alimentar com restrição ao aminoácido fenilalanina.

Após a alta da maternidade o recém-nascido deverá comparecer ao seguimento ambulatorial (puericultura) a partir da primeira semana de vida e com periodicidade mensal até 12 meses de vida. O pediatra é o profissional mais indicado e capacitado para acompanhar o desenvolvimento global da criança.

Os bebês recém-nascidos costumam apresentar espirros, soluços, cólicas, secreção ocular, obstrução nasal, descamação de pele e regurgitações. O seu pediatra irá orientar a melhor maneira de resolver os pequenos problemas do dia a dia.

Sessenta por cento dos recém-nascidos apresentam coloração amarelada na pele (icterícia) e necessitam muitas vezes de tratamento através da fototerapia (banho de luz).

O leite materno é o melhor e mais completo alimento para o seu bebê. Manter o aleitamento materno é importante para que o bebê cresça mais tranqüilo e seguro, fortalecendo seus vínculos afetivos; receba uma nutrição adequada às suas necessidades; tenha menor risco de apresentar infecções e adquira maior capacidade intelectual.

Quais são os 10 passos para obter sucesso no aleitamento materno?
1- Acredite: não existe leite fraco
2- Quanto mais o bebê mama, mais leite você produz
3- Coloque o bebê na posição correta para mamar
4- Cuide adequadamente das mamas
5- Faça ordenhas do leite quando for necessário
6- Nunca use bicos, chupetas, chuquinhas ou mamadeiras
7- Tome líquidos, alimente-se e descanse sempre que possível
8- Só tome medicamentos com ordem médica
9- Até os 6 meses o bebê só precisa de leite materno. Após essa idade acrescente outros alimentos e continue a amamentação se possível até os 2 anos de idade.
10-Conheça os direitos da mãe trabalhadora:
a) licença à gestante de 120 dias
b) dois descansos remunerados de meia hora para amamentar seu filho até 6 meses de idade
c) berçário ou creche nos locais de trabalho quando existam 30 ou mais funcionárias


Dra. Claudia Tanuri
Médica Pediatra e Neonatologista pela Sociedade Brasileira de Pediatria
Membro do Departamento de Neonatologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo
Médica responsável pela UTI Neonatal da Maternidade Escola Vila Nova Cachoeirinha – São Paulo
Médica diarista da UTI Neonatal da Maternidade Santa Joana – São Paulo

Contato: claudia.pediatra@mae24horas.com.br