Pré-Concepção

CASA VAZIA...SILÊNCIO...ESTÁ FALTANDO ALGUÉM AQUI.

Quantas vezes o casal já estabilizado, curtindo a vida a dois, percebe que a casa está silenciosa demais. Passeiam muito, divertem-se, mas quando voltam para casa parece que alguma coisa está faltando. Algo que aumente sua alegria, preencha os espaços vazios, traga mais vida às suas vidas. Alguém está faltando.Falta um bebê.

Falta alguém para bater uma bolinha com você ou curtir uma pescaria, alguém que possa passear com você pelo Shopping, um homem que lhe faça companhia num supermercado sem reclamar do longo período que você passa lá dentro (um presente para você, futura mamãe), uma mulher para assistir futebol ao seu lado sem abrir a boca (um presentão para você, futuro papai). Ou simplesmente alguém para amar e ser amado...por você.

Um bebê é sinônimo de vida, alegria e realização. Complemento.

As mulheres normalmente detectam essa falta antes dos homens, talvez por maturidade ou por seu imenso instinto materno.Por outro lado, alguns homens, por imaturidade e insegurança, temem perder seu lugar com a chegada de um bebê. Com isso, muitas vezes, tentam adiar uma gravidez. Em determinadas situações esse “adiamento” traz sérias conseqüências.

Quem casa, salvo raras exceções, deseja constituir uma família, e nada melhor do que constituí-la cedo. Ser pai e mãe aos 20 ou 30 anos é diferente de sê-lo aos 40 ou mais. O vigor físico não é mais o mesmo, e as crianças de hoje não são como as de 40 anos atrás...São “ligadas na tomada”. Sua energia parece inesgotável e o nível de informações que as rodeiam é muito maior.

Além do mais, com a idade, torna-se mais difícil engravidar, principalmente para as mulheres. Mesmo conseguindo uma gravidez, os riscos aumentam consideravelmente para as mães e bebês, daí a necessidade de acompanhamento médico contínuo.

Atualmente as mulheres, presentes e atuantes no mercado de trabalho, optam em primeiro lugar por sua estabilização e ascensão profissional, e após sua obtenção, a maternidade. Quanto à maturidade e experiência de vida, concordo que é melhor ter filhos após os 40. Mas o ideal seria ter a mente de 40 num corpinho de 20...o físico acompanharia melhor a performance das crianças.

Levando-se em consideração a felicidade proporcionada pela chegada de um bebê, percebe-se que todos os demais problemas tornam-se ínfimos e adquirimos uma força sobrenatural para vencermos obstáculos. Com amor conseguimos superá-los, vencê-los.

Vislumbrar o sorriso de um bebê ou um soninho sereno em nossos braços faz-nos esquecer todo o mundo ao nosso redor e nos entregarmos a momentos únicos e especiais.

Se você sente um silêncio enorme em sua casa, se você está pensando em engravidar, vá em frente. Tente (quantas vezes for necessário), proponha-se vencer obstáculos, por maiores que sejam.Não desista.

Vale a pena ser mãe. Vale a pena ser pai. Vale a pena ser feliz!!!


Sara Gonçalves
Mãe dos trigêmeos Anna Vitória, João Vitor e Juninho