Gestantes

ALIMENTAÇÃO DA GESTANTE

Neste primeiro momento estarei apresentando às futuras mamães todos os nutrientes necessários para que se tenha uma alimentação saudável, balanceada e nas proporções corretas.

Há muitos mitos e também muitos detalhes nas informações que as gestantes devem saber para uma dieta saudável e resultados satisfatórios.

Durante toda gestação o bebê tem apenas uma maneira de se alimentar, ou seja, através da mamãe e, por isso é ela quem deve ter uma alimentação equilibrada e hábitos saudáveis.

A tradição do “comer por dois” não deve ser levada em consideração em relação às quantidades, mas sim à qualidade das refeições. Ou seja, o seu alimento é duas vezes mais importante para que a mantenha saudável e para que seu organismo suporte o seu bebê em crescimento e desenvolvimento.

A dieta deve ser basicamente comum (exceto quando houver a existência de problemas de saúde, para isso o Nutricionista deverá ser imediatamente consultado) e balanceada de forma que atenda as necessidades da mamãe e do bebê.

Sendo tão grande a importância dos seus alimentos, estes devem suprir as necessidades energéticas, ter boa procedência e estar em harmonia quanto ao sabor, textura e cor...Tudo isso para que o momento de se alimentar seja o mais prazeroso possível.

O ganho de peso durante a gestação é uma das variáveis que exerce maior influência sobre o peso da criança ao nascer, e para saber qual o ganho saudável, os profissionais da saúde (Médico e Nutricionista) devem ser consultados rigorosamente.

Fiz um resumo dos principais Nutrientes e em quais alimentos podemos encontrá–los, para que se mantenha o equilíbrio necessário na dieta da mamãe e no desenvolvimento do bebê.

Proteínas
São essenciais como suporte das alterações no corpo da mamãe e também para o desenvolvimento dos tecidos, sangue e da placenta. Encontramos como ótimas fontes as carnes, ovos, leite e derivados, e também o feijão (que em nosso país temos em elevado consumo)

Ácido Fólico
Vitamina importante para a formação e crescimento dos músculos, nervos e células do sangue, além de ajudar também a prevenir imperfeições neurológicas no bebê.
Mesmo as mulheres antes da gestação devem dar atenção à ingestão desta substância, que é encontrada no fígado bovino, espinafre, brócolis, ovos, laranja, cenoura, nozes, carne (magra) de vaca e produtos de trigo integral.

Vitamina A
Evita problemas diversos de saúde tanto da mamãe quanto do bebê em formação.
São boas fontes: fígado bovino, leite, ovos, verduras de cor verde escura (como agrião, espinafre, almeirão, escarola...), cenoura, abóbora.

Vitamina C
Esta aumenta a imunidade fazendo com que o organismo da mulher esteja resistente a infecções, e também auxilia no fortalecimento da placenta. E por não ser armazenada no organismo, deve ser diariamente ingerida, através de frutas (principalmente: laranja, limão, acerola, caju, tangerina...), verduras e legumes.

Cálcio
Importantíssimo na formação dos ossos e dentes do bebê, além de prevenir que a mamãe tenha problemas ósseos após a gravidez (quando a mãe não ingere a quantidade de cálcio suficiente, o feto usa as reservas do organismo materno para atender as próprias necessidades, causando assim problemas futuros, como a osteoporose, para a mãe).
Ótimas fontes são: Leite, queijos e derivados.
Importante também salientar que o excedente desta substância será armazenado no organismo materno para a produção do leite materno

Fósforo
Importante no auxilio da formação de ossos e dentes do bebê, além
do papel fundamental na produção de energia a partir das gorduras, proteínas e Carboidratos. Encontra–se em praticamente todo tipo de alimento.

Ferro
As necessidades desta substância durante a gravidez são maiores, devido ao aumento de glóbulos vermelhos e outras alterações através da placenta para o feto. Além disso, auxilia o não surgimento de hemorragias e previne o risco de anemia (muito comum na gravidez).
Recomenda–se (embora pouco aceito) o consumo de miúdos de frango, verduras de cor verde escura (como agrião, espinafre, almeirão, escarola...), frutas (principalmente as cítricas: laranja, caju, limão...), atum e alimentos que sejam enriquecidos com Ferro (como farinhas, cereais...).

Zinco
Sua função mais importante é regular o crescimento e reprodução celular. Também com participação nos sentidos do paladar e do olfato.
As maiores fontes são os alimentos de origem animal, seguido dos cereais e grãos.
Curiosidade: Encontra–se essa substância, em especial, no leite materno (ai está mais uma vantagem da ingestão do mesmo para seu bebê).A deficiência de Zinco na alimentação pode causar retardo no crescimento infantil.

Iodo
Sua deficiência pode causar diminuição na função da tireóide, causando o chamado Hipotireoidismo. As fontes mais ricas são: sal (sem dúvida alguma, porém vale ressaltar que seu consumo não deve ser exagerado), moluscos e peixes marinhos.

Carboidratos
Os carboidratos são considerados o combustível da vida e são indispensáveis.
São encontrados nos cereais, pães, massas, farinhas, tubérculos, milho, frutas.
Devido ao crescimento do feto, placenta e dos tecidos maternos associados, deve–se aumentar a necessidade de energia, porém o mesmo deve ser feito com o acompanhamento de profissional da saúde, para que não haja aumento exagerado de peso.

Fibras
As gestantes possuem grande tendência à obstipação (intestino preso), devido ao bebê estar crescendo e ganhando espaço dentro do organismo da mulher, e assim estar comprimindo os órgãos da mamãe. Além disso, outro fator causador da obstipação é a diminuição de exercícios praticados pela gestante. Devido a todos esses fatores, aconselha–se a ingestão diária de fibras, que são encontradas em frutas frescas (melhor se ingeridas com o bagaço), cereais e verduras.


Observação:
Toda dieta e consumo de suplementos (minerais, vitaminas) devem ser dados e acompanhados por uma equipe especializada (Médico e Nutricionista), para que tanto a mamãe quanto seu bebê estejam sempre saudáveis.

Daniela L. Comenalle Nutricionista
CRN 12288
Contato: dani.nutricionista@mae24horas.com.br